julho 15, 2016

A Magia e o Sucesso do Turismo Raiz em Botucatu !

A Magia e o Sucesso do Turismo Raiz em Botucatu !



É  muito importante o apoio e a divulgação ao TURISMO RAIZ DE BOTUCATU!

A publicação oficial da prefeitura e da iniciativa privada com a publicação de "SABORES DA CUESTA", trazendo os principais locais onde o botucatuense e o visitante possa encontrar a autêntica comida caipira servida com a generosidade também típica da nosa região, já é um positivo sucesso. 

O "GRUPO DE CAMINHADAS PAPA-TRILHAS", sob o comando competente do TONIHO SANCHES, há muito tempo vem alicerçando a divulgação e a construção do turismo em nossa região, a região da CUESTA DE BOTUCATU.

Essa publicação, em parceria com a prefeitura municipal é muito positiva. E, por oportuno, transcrevo, abaixo, matéria deste Blog referente ao turismo. Vale a leitura:



Os Tropeiros, o Turismo Raiz

e as Novas Comitivas...


(de Benedicto Calixto – Rancho Grande (dos Tropeiros)

Antes das estradas de ferro, e muito antes dos caminhões, o comércio de mercadorias era feito portropeiros, nas regiões onde não havia alternativas de navegação marítima ou fluvial para sua distribuição. As regiões interioranas, distantes do litoral, dependeram durante muito tempo desse meio de transporte por mulas. Desde fins do século XVII, as lavras mineiras, por exemplo, exigiram a formação de grupos de mercadores no comércio interiorano. Inicialmente chamados de homens do caminho, tratantes ou viandantes, os tropeiros passaram a ser fundamentais no comércio de escravos, alimentos e ferramentas dos mineiros. Longe de serem comerciantes especializados, os tropeiros compravam e vendiam de tudo um pouco: escravos, ferramentas, vestimentas etc. A existência do tropeirismo estava intimamente relacionada ao ir-e-vir pelos caminhos e estradas, com destaque para aEstrada real -- via pela qual o ouro mineiro chegou ao porto do Rio de Janeiro e seguiu para Portugal. O constante movimento, o ir-e-vir das tropas, não só viabilizou o comércio como também se tornou elemento chave na reprodução econômica do tropeirismo.

TROPEIRO

Tropeiro é a designação dada aos condutores de tropas,assim designadas as comitivas de muares, e cavalosentre as regiões de produção e os centros consumidores, a partir do século XVII no Brasil pelos Bandeirantes. Mais ao sul do Brasil, também são conhecidos como carreteiros, pelas carretas com as quais trabalhavam.
clique na imagem para ampliá-la

clique na imagem para ampliá-la
Revista Hippus (Edição nº 42, de março/83, páginas 40 e 41, com o título de"Tropeirismo em Botucatu")


Num sentido mais amplo também designa o comerciante que comprava tropas de animais para revendê-las, e mesmo o"tropeiro de bestas" que usava os animais, para além de vendê-los, transportar outros gêneros para o comércio nas várias vilas e cidades pelas quais passava.

Além de seu importante papel na economia, o tropeiro teve importância cultural relevante como veiculador de ideias e notícias entre as aldeias e comunidades distantes entre sí, numa época em que não existiam estradas no Brasil.

Um dos marcos iniciais do tropeirismo foi quando aCoroa Portuguesa instalou em 1695 na Vila de Taubaté, a Casa de Fundição de Taubaté, também chamada de Oficina Real dos Quintos. A partir de então, todo o ouro extraído das Minas Gerais deveria ser levado a esta Vila e de lá seguia para o porto de Parati, de onde era encaminhado para o reino, via cidade do Rio de Janeiro.

Ao longo das rotas pelas quais se deslocavam, ajudaram a fazer brotar várias das atuais cidades do Brasil. As cidades deTaubaté, Sorocaba, Viamão, Santana de Parnaíba, Castro, Cruz Alta e São Vicente são algumas das pioneiras que se destacaram pela atividade de seus tropeiros.(Wikipédia, a enciclopédia livre)


clique na imagem para ampliá-la
TURISMO RURAL/TURISMO RAIZ/REGISTRO HISTÓRICO/PARTE I/leia aqui

TURISMO RURAL/TURISMO RAIZ/REGISTRO HISTÓRICO/PARTE II/leia aqui

As Novas Comitivas

A exploração das áreas de antigas fazendas, sítios e Vilas Rurais para atividades turísticas está sendo tratada com a seriedade própria de empresários que sabem que aí está um filão muito pouco explorado e que pode render muito para regiões que entraram em decadência após o ciclo produtivo de seu meio rural. Muitas Prefeituras, com a ajuda e orientação do Sebrae, promovem seminários e fornecem orientação e assessoria aos interessados em ingressar nesse novo ramo empresarial.

Assim, procurando definir o perfil rural de uma típica cidade que vivenciou o Tropeirismo, é que fomos buscar na história de Botucatu, os elementos para que possa ser"adotado" o novo conceito das NOVAS COMITIVAS. E para que possamos planejar o nosso turismo ruralexplorado empresarialmente é preciso que o Poder Públicoestabeleça as regras para o trabalho em parceria com a iniciativa privada.

Além de visitação a tudo o que tenha em termos da cultura de café, como o Museu do Café e as antigas Fazendas , é preciso que se tenha um projeto inicial para a exploração empresarial do turismo rural, do turismo-raiz na cidade de Botucatu/SP.

A idéia das Novas Comitivas surgiu exatamente para incorporar a tradição rural de Botucatu que é tipicamente RAIZ na atuação dos tropeiros e das comitivas do passado.

Assim, somando à atuação das comitivas temos a música sertaneja-raiz, a chamada música caipira, mais uma vez Botucatu é privilegiada: os maiores expoentes da implantação e divulgação da música caipira são de Botucatu. Os nomes de Angelino de Oliveira, Raul Torres e Serrinha, estão gravados definitivamente na história da musica caipira, da música sertaneja-raiz.


clique na imagem para ampliá-la
Nas matérias TURISMO RURAL/TURISMO RAIZ – PARTES I e II, nos links citados, temos todo o histórico do Tropeirismo, das Comitivas e da verdadeira Música Raiz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário