julho 05, 2016

Academia Botucatuense de Letras: LIVROS PUBLICADOS



Academia Botucatuense de Letras:
 Produção Literária!


ACADEMIA BOTUCATUENSE DE LETRAS – ABL é efetivamente um empreendimento cultural vitorioso em Botucatu. Desde a sua fundação, sob o comando firme e visionário de seu primeiro presidente, hoje Presidente Perpétuo – o saudoso ANTONIO GABRIEL MARÃO! – a ABL soube interagir com a nossa sociedade civil e, de modo especial, com as autoridades constituídas.

Academia Botucatuense de Letras Comemora 40 Anos: Registro Histórico/ leia aqui


Assim, manteve uma atuação proativa com a cidade: seu“Jornal Literário”, a participação nos eventos culturais e educacionais da Prefeitura Municipal e de entidades privadas e a publicação de seus 3 livros, registrando o desempenho cultural de seus acadêmicos. Com Sessões Lítero-Musicais, a ABL manteve a constância mesmo não dispondo de uma sede própria. Contando com a colaboração do Poder Público, como agora e de uma outra vez, ou contando com o abrigo que lhe foi dado pelo“Convivium- Espaço Cultural Francisco Marins”, a ABL tem realizado periódicas reuniões, contando com a gentileza, num primeiro momento, da casa de ELDA MOSCOGLIATO e, ao depois, da casa de MARIA HELENA BLASI TREVISANI. Foi uma caminhada cultural vitoriosa e que tem elevado o nome de Botucatu.

clique na imagem para ampliá-la
ABL já o dissemos, tem em seu histórico dois importantes eventos culturais a marcar a sua excelência na cultura botucatuense: o PRIMEIRO, em sua efetiva instalação, em 1973, com 3 Patronos vivos (Alceu Maynard Araújo, Francisco Marins e Hernâni Donato) e, antecedendo a Academia Brasileira de Letras, com 2 mulheres acadêmicas em sua instalação (Elda Moscogliato e Dinorah Silva Alvarez); em SEGUNDO e importante evento, a SESSÃO MAGNA, realizada em 2001, entre as Academias Paulista de Letras e Botucatuense de Letras, com a presença maciça dos Acadêmicos Paulistas em sua PRIMEIRA REUNIÃO formal fora da capital paulista. 

Atualmente, a ABL continua em sua “caminhada peabiruana”, sempre divulgando a cultura em Botucatu. Sob a presidência do Acadêmico Newton Colenci, tem orgulho de seus trabalhos literários.

O PRIMEIRO LIVRO:

clique na imagem para ampliá-la

primeira produção literária da ABL, ocorreu no ano de 1992, com o lançamento da “COLETÂNEA LITERÁRIA DA ACADEMIA BOTUCATUENSE DE LETRAS”. Nessa edição pioneira, a capa e os retratos dos acadêmicos foram feitos pelo acadêmico Eugênio Monteferrante Netto; a diagramação coube ao acadêmico José Antonio Sartori; e na coordenação de produção, as acadêmicas Elda Moscogliato e Leda Galvão de Avellar Pires.

Diretoria:
Presidente: Antonio Gabriel Marão
1º Vice: Luiz Peres/José Celso Soares Vieira
2] Vice: Olívio Stersa
1º Secretário: Edson Lopes
2º Secretário: Elda Moscogliato
1] Tesoureiro: José Antonio Sartori
2º Tesoureiro: Eugênio Monteferrante Netto
Bibliotecária: Leda Galvão de Avellar Pires.



Com o patrocínio da Divisão de Cultura da Prefeitura Municipal (gestão de Joel Spadaro), tinha as seguintes produções literárias e seus respectivos autores:
“Impressões do Hawaii”, de Luiz Peres; “O Auto-Retrato”, de Armando Moraes Delmanto; “Os Espíritos e os Sonhos”, de Laurival Antonio de Luca; “A Explosão – Ave, Brasília,Uma Família Paulista” de Leda Galvão de Avellar Pires; “Nello Pedretti”, de Aleixo Delmanto; “A Boneca”, de Maria Amélia Blasi de Toledo Pisa; “Mensagem – Pátria – Nada...Existe o Nada? Falando sobre Guilherme de Almeida”, de Antonio Gabriel Marão; “O Velho Ipê – A Vida das Línguas – Monômios – As Grandezas do Brasil”, de Arnaldo Moreira Reis; “Na Marcha da Vida – Sinfonia da Vida – A Florada – Convite ao Poeta – Rio São Francisco – Receita para Fazer Versos – Deixai o Poeta Cantar”, de Dinorah Silva e Alvarez; “Florilégio Musical – Humberto de Campos (Biografia) – Canto de Natal”, Aécio de Souza Salvador; “Discurso – Crônica”, de Elda Moscogliato; “Cidade Universitária”, de Osmar Delmanto; “Ainda bem... – A Mosca – Invasão – Minha Casa”, de Edson Geraldo Luiz Lopes; “Martins Fontes (Biografia)”, de Eugênio Monteferrante Netto; “Recepção à Acadêmica Dinorah Silva e Alvarez (discurso)”, de José Antonio Sartori; “Othoniel Motta (Traços Biográficos)”, de Francisco Guedelha; “A Vida e a Obra de Paulo Eiró, de Olívio Stersa; “Rubião Meira, Meu Avô”, de Domingos Alves Meira; “Raio de Sol – Despedida – Cabelos Brancos – Névoa – Princesa da Serra (Poesias)”, de Trajano Pupo Júnior; “A Palavra”, de Dom Vicente Marchetti Zioni; “José Pedretti Neto (reminiscências)”, de Maria José Del Papa Zacharias. 

O SEGUNDO LIVRO:


clique na imagem para ampliá-la

O lançamento do segundo livro da ABL ocorreu em 1998, em comemoração ao seu JUBILEU DE PRATA (1973 – 1998). 
ABL tinha a seguinte Diretoria:
Presidente Perpétuo: Antônio Gabriel Marão
Presidente : José Celso Soares Vieira
1º Vice Presidente: Olívio Stersa
2º Vice Presidente: Maria José Del papa Zacharias
1º Secretário: Edson Geraldo L. Lopes
2º Secretário: Elda Moscogliato
1º Tesoureiro: José Antônio Sartori
2º Tesoureiro: Eugênio MonteferranteNetto
Responsável pelo acervo: Leda Galvão de Avellar Pires

As ilustrações ficaram a cargo de Benedito Vinício Aloise;
Capa : José Antônio Sartori
Foto/Capa: Marcelino Dias
Revisão: José Celso S. Vieira/Neidi Ricchini Vieira.


Com o patrocínio da Divisão de Cultura da Prefeitura Municipal (gestão de Pedro Losi Neto), tinha as seguintes produções literárias e seus respectivos autores:
“São Francisco de Sales e a Boa Imprensa”, de Luiz Perez; “Memórias”, de Sebastião de Almeida Pinto; “Até as pedras se encontram”, de Raymundo Marcolino da Luz Cintra; “As “patricinhas” de Botucatu...Nos idos de 42...”, de Leda Galvão de Avellar Pires; “Castro Alves”, de Aleixo Delmanto; “Ritmo: não vivemos sem ele”, de Maria Amélia Blasi de Toledo Piza; “Nos domínios da música”, de Antônio Gabriel Marão; “Filatelia”, de Antônio Gabriel Marão; “As grandezas do Brasil”, de Arnaldo Moreira Reis; “Na Marcha da Vida”, de Dinorah Silva e Alvarez; “O Médico e o Intelectual”, de Antonio Pires de Campos; “Mortém”, de Elda Moscogliato; “Saudação a Botucatu”, de Osmar Delmanto; “Verbo pôr”, de Bahige Fadel; “O livro”, de Sebastião da Rocha Lima; “D. Henrique, o arquiteto”, de Eugênio Monteferrante Netto; “Festa em Louvor ao Divino Espírito Santo”, de José Antônio Sartori; “Centenário de Cornélio Pires”, de Francisco Guedelha; “Retalhos do cotidiano: meu amigo Jabu”, de Olívio Stersa; “A mão direita”, de Ignácio de Loyola Vieira Novelli; “O Varredor de flores”, Ignácio de Loyola Vieira Novelli; “O século XX, o Brasil e a AIDS”, de Domingos Alves Meira; “Despedida/Raio de Sol”, de Trajano Pupo Júnior; Nossas remotas origens eclesitáticas”, Dom Aquino Correa; “Natal na primavera”, de Maria José Del Papa Zacharias; Relembranças”, Maria Helena Blasi Trevisani; “Discurso de posse na ABL, de Armando Moraes Delmanto; “Meus últimos pedidos, de Laurival Antônio de Luca; “A indiferença do rio”, de José Celso Soares Vieira; “Poemas”, Carmem Sílvia Martin Guimarães; “Biografia de Humberto Campos”, Aécio de Souza Salvador; “Aniversário com outra atração”, de Franz Habermann; “O Papagaio”, Edson G. L. Lopes; “Naturalia hominis”, Evanil Pires de Campos; “Espaço vivido: o regaste da identidade da pessoa, Álvaro José de Souza; “Comemoração leva a reviver e sonhar”, de Joel Spadaro; “A Cultura e o Clero”, de Dom Antônio Maria Mucciolo; “A Glória de Viver/The whirling top”, de Beatrice Mandan de Barriera; “Lição de Música”, de Maria Lúcia Dal Farra; “A gratidão do Tico-Tico”, Dom Henrique Golland Trindade; “Alcolea”, de Dom José Melhado Campos; “Biquinha” do meu coração”, de Hugo Pires; “Coluna Nobre”, de Genaro Lobo; “Oãram”, Milton Marianno; “Um jornal a serviço da cultura”, de Adolpho Dinucci Venditto; “Exaltação à Princesa Isabel”, de Antônio Oscar Guimarães; “Vim buscar para a vida”, de Vanice Camargo Alves; “Essas mulheres maravilhosas e suas cabeças (bem) pensantes, de Hernâni Donato; “O Missionário”, de Francisco Marins; “Mestre”, de José Pedretti Neto; e “Homenagem aos 25 anos da ABL – Retrospectiva histórica”, de José Antônio Sartori.

O TERCEIRO LIVRO:

clique na imagem para ampliá-la

O lançamento do terceiro livro da ABL ocorreu em 2013, em comemoração ao 40º Aniversário da ACADEMIA BOTUCATUENSE DE LETRES (1972 – 2012). 
ABL tinha a seguinte Diretoria:
Presidente Perpétuo: Antônio Gabriel Marão
Presidente Emérito : José Celso Soares Vieira
Presidente: Antônio Evaldo Klar
1º Vice Presidente: Carmem Sílvia Martin Guimarães
2º Vice Presidente: Maria Helena Blase Trevisani
1º Secretária: Carmem Lúcia Ebúrneo da Silva
2º Secretária: Maria da Glória Guimarães Dinucci Venditto
1º Tesoureiro: José Sebastião Pires Mendes
2º Tesoureira: Márcia Furrier Guedelha Blasi
1º Bibliotecária: Maria Amélia Blasi de Toledo Piza
2º Bibliotecária: Leda Galvão de Avellar Pires

organização deste terceiro volume da ABL ficou a cargo da Acadêmica Carmem Lúcia Ebúrneo da Silva, com o apoio da Prefeitura Municipal (gestão João Cury Neto).
Revisão: José Celso Soares Vieira
Carmem Sílvia Martin Guimarães
Carmem Lúcia Ebúrneo da Silva
Antônio Evaldo Klar
Capa: Cláudia Bassetto/Paula Ângelo

Com o título “40 Anos- Coletânea – Contribuindo para a educação de Botucatu”, tinha as seguintes produções literárias e seus respectivos autores:
“Quadragésimo aniversário da Academia Botucatuense de Letras”, Antônio Evaldo Klar; “Florilégio Musical”, Aécio de Souza Salvador; “Nello Pedretti”, de Aleixo Delmanto; “A Cuesta de Botucatu”, de Álvaro José de Souza; “A Educação aqui e acolá”, Antônio Evaldo Klar; “Maria Sofia de Jesus”, de Antonio Gabriel Marão; “Quarenta Anos da Academia Botucatuense de Letras”, de Antônio Evaldo Klar; “Dom Henrique, meu padrinho e amigo”, Antônio Oscar Guimarães; “O Médico e o Intelectual”, de Antonio Pires de Campos; “52 Anos” (de “A Gazeta”), de Antonio Tílio Junior; “O Menino do Retrato”, de Arlete Bravo Nogueira; “Academia Botucatuense de Letras (40 Anos de Glórias)”, de Armando Jesus Barbieri; “Viva Alessino!”, de Armando Moraes Delmanto; As Grandezas do Brasil”, de Arnaldo Moreira Reis; “Lenda de Botucatu”, de Bahige Fadel; “Benedicto Vinício Aloise”, de Carmem Sílvia Martin Guimarães; “São Francisco de Sales e a Boa Imprensa”, de Carlos Antônio de Rosa; “O Prazer de Coordenar o Embrião-Livro”, de Carmem Lúcia Ebúrneo da Silva; “Academia Botucatuense de Letras – Um Sonho de Mamãe”, de Carmem Sílvia Martin Guimarães; “Artista e a Inocência de uma Criança”, de Celina Simionato Chamma; “O Olhar da Cidade”, de Cláudia Basseto Jesuíno; “Dinorah Silva Alvarez”, colaboração de Carmem Sílvia Martin Guimarães; “Serviço de Ambulatórios Especializados e Hospital Dia “Domingos Alves Meira”: Uma Iniciativa que Valeu a Pena”, Domingos Alves Meira; “Academia Botucatuense de Letras”, de Domingos Scarpelini; “Pássaros”, de Edson Geraldo Luis Lopes; “Faber Lignarius”, de Elda Moscogliato; “Dom Henrique, o Arquiteto”, de Eugênio Monteferrante Netto; “O Lobo da Estepe e o Espelho”, de Evanil Pires de Campos; “A Estrela de Belém”, de Francisco Guedelha; “Discípulos nas Academias Botucatuenses”, de Francisco Habermann; “Botucatu: Morada da Inteligência”, de Francisco Marins; “Era só o que Faltava, de Hernâni Donato; “Noite sem Estrelas”, de Hugo de Avellar Pires; “A Mão Direita”, de Ignácio Loyola Vieira Novelli; “João Carlos Figueiroa”; “Os Cinquenta Anos da Faculdade de Medicina de Botucatu”, de Joel Spadaro; “E tudo começou com uma vaca”, de José Angelo Potiens; “Feiras de Ciências em Botucatu, de José Antônio Sartori; “O Amigo Saci”, de José Celso Soares Vieira; “O Fim de Chicuta”, de José Pedretti Neto; “Os Senhores do Ultratempo”, de José Sebastião Pires Mendes; “Meus Últimos Pedidos”, Laurival Antônio de Luca; “Pise firme, que este chão é nosso”, Leda Galvão de Avellar Pires; “São Francisco de Sales e a Boa Imprensa”, Luiz Peres; “Aniversário”, de Márcia Furrier Guedelha Blasi; “Non Omnis Moriar”, de Marcos Luciano Corsatto; “A Famosa História da Branca da Gama”, de Maria Amélia Blasi de Toledo Piza; “Eu e a Academia”, de Maria Anna Moscogliato; “Amizade”, de Maria da Glória Guimarães Dinucci Venditto; “Para o Aniversário de Botucatu”, de Maria Helena Blasi Trevisani; “Maria José Del Papa Zacharias”; “As Guardiãs”, de Maria Lúcia Dal Farra; “Oãram”, de Milton Marianno; “Professor Mozart Morais”; “Academia Botucatuense de Letras – Quarenta Anos de Existência”, de Newton Colenci; “Dr. Jaquaribe e os Primórdios de nossa Literatura Histórica”, de Olavo Pinheiro Godoy; “Cumpadre é pra isso mermo”, de Olívio Stersa; “Ética, Moral, Imoral e Amoral”, de Omar Abujamra Júnior; “O Ensino do Latim”, Osmar Delmanto; “Adeus a dois Amigos”, de Oswaldo Minicucci; “Até as Pedras se Encontram”, de Raymundo Marcolino da Luz Cintra; “Rosa Aparecida Innocenti Dinhane”; “Flores para Botucatu”, de Rosa Nepomuceno; “...No Centenário de Botucatu”, de Rubens Rodrigues Torres; “O Simbolismo no Poema Duas Almas de Alceu Wamosy”, de Ruth Marianno; “Cultivemos Nossos Jardins”, de Sebastião da Rocha Lima; “Retalho da História Botucatuense”, de Sebastião de Almeida Pinto; “Cabelos Brancos”, de Trajano Pupo Junior; “Sola Scriptura”, de Valdir Gonzales Paixão Junior; “Venice de Andrade Camargo Alves”; “Nossas Remotas Origens Eclesiásticas”, de Vicente Marchetti Zioni.

É REGISTRO HISTÓRICO!

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro amigo Armando Delmanto,

Sempre preciso em defender a causa da cultura encarnada na Academia Botucatuense de Letras, para imediatamente estampar em seu já substancial blog a celebração dos 40 Anos desta instituição. Tão logo o trabalho intelectual armou-se em vosso espírito, sob o estimulo de imperativas memórias botucatuenses, este blog ( do Delmanto ), com o mesmo ímpeto dos que fundaram a ABL, tudo fez para o trabalho ganhar a luz. Muito obrigado, por você batalhar, na defesa de nossas tradições.

Olavo Pinheiro Godoy
Membro da ABL
(olavogodoy@yahoo.com.br)

Anônimo disse...

Carmem Lúcia da Silva (Facebook) compartilhou a sua publicação.
O Blog do Acadêmico Dr Armando Moraes Delmanto é histórico, recente, vivo e de alto teor jornalístico.
Botucatu e a Academia Botucatuense de Letras sempre em pauta.
Parabéns!

Postar um comentário