março 22, 2011

DIPLOMACIA BRASILEIRA

É preciso que se concentre. Nada será como antes... Sim, nós podemos! O Brasil faz parte do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China). A nova face de uma nova realidade mundial...

BRIC(Brasil, Rússia, Índia e China)/ leia aqui

E foi nessa condição, sendo a 8ª. maior economia mundial, que recebemos o presidente dos Estados Unidos da América do Norte. De lambuja, o forte crescimento do PIB (Produto Interno Bruto), em 2010, fez com que o Brasil tivesse a 5ª. maior expansão econômica dos países do G20.

As 10 Maiores Economias do Mundo/ leia aqui

Tá bom assim? Precisa mais? Não, não, tá bom assim!

E foi assim que recebemos Barack Obama. Com a cabeça erguida e com a casa em ordem. Com Dona Dilma exercendo o seu papel com muita competência, com simpatia e postura executiva. Isso tudo foi muito diferente. O mundo todo teve, durante a visita, UM NOVO OLHAR PARA O Brasil...

É isso: UM NOVO OLHAR!



Em entrevista ao jornal “Folha de São Paulo”, de 19/03/2010, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez uma análise perfeita dessa nova realidade. Perguntado sobre o que esperava da visita do presidente americano, respondeu:
“É um sinal importante que ele venha e que venha agora, num momento em que não dá mais para pensar mais o mundo em termos de Norte e Sul. O Brasil olhou os EUA a vida inteira com o complexo de eles serem Norte e nós, Sul. Apesar da retórica, o fato de discriminar os EUA indicava inferioridade. Não precisamos mais disso.”

E disse mais: “EUA não tem mais como impor nada para o mundo.” Nem os EUA e nem a Rússia, que liderava a antiga União Soviética. A Guerra Fria, com o mundo dividido entre esses dois países, acabou com a simbólica queda do Muro de Berlim. O ex-presidente foi convidado para o almoço oficial oferecido a Barack Obama. Ele e os outros ex-presidentes.

A postura da presidente Dilma Rousseff, na recepção ao presidente americano e no convite para que os ex-presidentes participassem da recepção, recolocou a Diplomacia Brasileira no patamar positivo e coerente com a sua tradição. E essa atitude deixou sem rumo os radicais de sempre, principalmente do PT e partidos alinhados, levando o senador Lindbergh Farias (PT/RJ) a desabafar:
“Isso é esquizofrenia. Os líderes nacionais do PT vão à recepção ao presidente Barack Obama no Itamaraty, e, no Rio, dirigentes locais querem convocar um protesto.”



Fotos de Obama no Brasil / leia aqui

Com essa nova realidade é que se deu a bem sucedida visita de Barack Obama. Primeiro em Brasília ,e, depois, no encerramento exitoso no Rio de Janeiro. O seu discurso para mais de 2 mil convidados no Teatro Municipal, foi muito bem recebido. A certeza dos novos tempos, quando ele destacou a parceria em pé de igualdade e o exemplo da democracia brasileira para o mundo. E fez questão de mostrar que o Brasil teve um desenvolvimento positivo nos “...governos do Presidente Cardoso e do Presidente Lula.”

Repetimos, para gravar na memória de todos, que o Brasil, tanto na Monarquia como na República, contou com exemplares representantes que honraram a tradição de paz do país e conseguiram expressivas vitórias diplomáticas, como o Barão do Rio Branco, Joaquim Nabuco, Rui Barbosa, Assis Brasil e tantos outros servidores exemplares!
Alceu de Amoroso Lima (Tristão de Ataíde), in Política & Letras, definiu bem: “Rui Barbosa era o homem cujo sonho mais vivo foi fazer do Brasil, pela força do Direito, potência Mundial; Rio Branco pensara o Brasil na América do Sul; Nabuco esboçara esse prestígio no norte do continente; Rui sonhava com o Brasil no mundo.” Foi uma Diplomacia vitoriosa!

E sobre esse passado que nos honra é que essa nova realidade e à mútua disposição dos dois países em construírem, juntos, um futuro melhor, foi expressada pelo presidente americano:
"Acreditamos nas palavras de Paulo Coelho, um de seus mais famosos escritores, que com a força de nosso amor e nossa vontade, podemos mudar nosso destino. E também o destino de muitos outros".

Íntegra do Discurso / leia aqui

Importante que se analise o discurso de Barack Obama. Ele é emblemático e esquematiza as relações futuras entre o Brasil e os EUA. A repercussão foi positiva entre os que acompanharam o evento, desde artistas a intelectuais.

Artistas comentam o discurso/ veja aqui

À tarde e à noite as visitas à Cidade Deus e ao Cristo Redentor – a 7ª. Maravilha do Mundo! – encantaram o presidente, seus familiares e sua comitiva.

Com certeza estabeleceu-se uma nova era na diplomacia entre o Brasil e os Estados Unidos.

E está bom assim! É um olhar positivo e franco entre os dois países!
É um bom recomeço diplomático!

3 comentários:

Anônimo disse...

Foi bem focado o assunto. Diplomacia Internacional é pra gente competente. Nem os Estados Unidos são os bonzinhos e nem o Brasil é um parceiro só por ideal e objetivos comuns. O comércio e o interesse da força produtiva de cada país é que pesa na balança. Todos sabemos que o Brasil perdeu muito de sua produtividade com a invasão chinesa com seus produtos a preços imbatíveis. Agora, é preciso reagir e fazer uma nova engenharia que possibilite à industria nacional ter preços competitivos com os produtos da Ásia. E não é fácil: lá a mão de obra é quase escrava (a China é Comunista pra isso, no comércio internacional é parceiro em pé de igualdade com os EUA e com a Europa). Então o Governo Federal tem que “aliviar” um pouco na taxação dos tributos (o Brasil é Campeão na cobrança de imposto embutido no preço dos produtos!). A porta foi aberta com esse encontro entre Obama e Dilma Rousseff. Os Estados Unidos é o melhor parceiro para o Brasil exportar seus produtos manufaturados e sua produção agrícola. Lá é o grande mercado indiscutivelmente. Agora é indispensável a competência (qualidade dos produtos) e a capacidade negocial. Vamos acompanhar e acreditar que os nossos empresários serão competentes nessa nova etapa. Eu vi uma entrevista do presidente da FIESP, lamentando que há 2 anos tínhamos superávit e agora temos déficit comercial com os EUA, como se isso fosse uma injustiça. Acorda Scaf! É falta de competitividade! É preciso virar o jogo! Mãos à obra!!!
(luisroberto-souza@yahoo.com.br)

Anônimo disse...

A verdade verdadeira é que a política externa do Governo Lula estava totalmente equivocada. Conquistar o mercado da África, tudo bem, mas sem se descuidar do grande mercado comprador que é o americano e a Europa. Conquistar o mercado da América do Sul, tudo bem, mas sem só dar para a Bolívia, para o Equador empresas e divisas brasileiras. O Lula foi muito “bonzinho” com o dinheiro que não era dele, mas nosso e só recebeu pontapé. E depois vinha com aquela desculpa esfarrapada de que o Brasil é devedor pelo progresso que tem aos países vizinhos. Saí dessa, oh lulinha paz e amor, vá brincar de “casinha” em outro lugar. Ele e aquele Celso Amorim, pela madrugada...E esse “competente” Celso Amorim ainda queria sair candidato a deputado federal pelo PT, não precisa dizer mais nada...Um CHANCELER pau mandado a serviço dos interesses do PT e do Zé Dirceu (aquele que recebeu uma bengalada!). ACORDA BRASIL!
(carla.bueno2011@bol.com.br)

rebloggando-requeri disse...

tem coisa mais saborosa e reconfortante do que café fresquinho e pão de queijo quente???
o encontro da primeira mulher presidente do brasil com o primeiro negro presidente dos usa foi bem calculado e ornamentado, dentre outras seduções, por aquela combinação apetitosa.
uma forma de mostrar ao mais ilustre sobrinho do tio sam que a festa democrática regada a liberdade que eles prestigiam tanto, já está consolidada por aqui.

Postar um comentário