março 27, 2011

PARLAMENTAR FAZ RODÍZIO SACANA!

"A reforma política é urgentíssima. É preciso ainda pensarmos na reforma do sistema de voto. Hoje temos apenas o Brasil e a Finlândia praticando o sistema proporcional. É hora de pensarmos no voto distrital misto "
Ex-Ministro Carlos Velloso do STF

COMO É:
O atual sistema eleitoral contempla o voto proporcional , que são os votos válidos totais de cada partido que vão definir o número de vagas por partidos e os mais votados de cada partido serão os eleitos. Ocorre que nem sempre os candidatos mais votados são os eleitos. Exemplo: em um pequeno partido, determinado candidato teve grande votação, mas a somatória dos votos dos outros candidatos do partido não atinge o quociente eleitoral e, mesmo com grande votação, esse candidato não se elege. Outro exemplo: em um pequeno partido, determinado candidato tem votação surpreendente, a maior votação entre todos os candidatos de todos os partidos; assim, ele se elege e elege outros candidatos de seu partido que tiveram votação insignificante (em detrimento de candidatos bem votados de outros partidos). É o que aconteceu, algumas vezes, com o candidato Enéas.

Sistema Eleitoral/ leia aqui


COMO O GOVERNO QUER MUDAR:
O sistema proposto pela maioria dos deputados ligados ao Governo Federal propõe o voto majoritário, pelo qual cada Estado seria um distrito, um distrito gigante, daí a denominação de “distritão” . E por esse modelo de sistema eleitoral, o nosso Estado de São Paulo, por exemplo, elegeria os candidatos mais votados, independentemente do quociente eleitoral de seus partidos. Assim, como São Paulo tem 70 deputados federais, elegeria os 70 candidatos mais votados.

O sistema do voto majoritário é assim: quem tem voto se elege; quem não tem, não se elege... Não importa o partido!

Não mudaria quase nada. Haveria a valorização dos mais votados independente de qual partido pertença. Esse tipo de voto, erroneamente chamado “distritão”, é defendido pelo Sarney, pelo Temer (PMDB), pelo Francisco Dornelles (PP) e pela maioria do pessoal do PT. Mas o senador Humberto Costa (PT), líder do partido no Senado, afirmou que o distritão significa a abolição definitiva dos partidos políticos, pois leva a uma personalização ainda maior das campanhas (já que o voto se destina unicamente ao candidato) e torna as eleições ainda mais caras, privilegiando os candidatos mais ricos –argumenta. E agora, José?!?

O SISTEMA DO VOTO DISTRITAL MISTO:
O sistema do voto distrital misto resulta da somatória do voto distrital puro com o sistema de representação proporcional. Podendo ser aplicado para as eleições de Deputado Federal, Deputado Estadual e Vereadores.Assim, o Estado de São Paulo, com 70 Deputados Federais, seria dividido, por exemplo, em 35 Distritos. Cada Distrito elegeria um candidato pelo voto distrital e o outro pela votação proporcional, quer seja o candidato indicado pelo partido, nos mesmos termos hoje vigentes (voto de legenda e quociente partidário). No caso, os eleitos poderiam ser por lista partidária fechada, ou por lista partidária aberta, onde os eleitos são os mais votados.

Voto Distrital/ leia aqui


Voto Distrital/Opinião Parlamentar/ leia aqui


E o eleitor, pelo voto distrital, tem melhores condições de acompanhar e analisar o trabalho de seu Deputado, se ele estiver ao alcance do exercício da sua cidadania, ou seja, em um determinado Distrito Eleitoral, pelo eleitor que lhe deu o voto e acompanha seu trabalho, sabe onde ele mora, às vezes o encontra na missa de domingo, sabe onde estão seus amigos e onde construiu sua vida política...

O eleitor, dessa forma, disporá de 2 votos: um para o candidato distrital e, o outro, para um candidato proporcional (ou seja, um candidato não ligado a um determinado Distrito, mas que tenha uma aceitação em todo o Estado, pela pregação que faz de forma ampla atingindo todos os Distritos).
Exemplo Didático: o candidato ideológico, ou o candidato representante sindical ou de representantes profissionais, o candidato evangélico, ou o candidato do “protesto”. Ou ainda, “pejorativamente”, o candidato “da mala preta”... Claro que uma campanha em todo o Estado seria infinitamente mais cara que uma campanha distrital.

O RODÍZIO PARLAMENTAR SACANA!!!
Representa o atual sistema eleitoral ou o sistema eleitoral majoritário, chamado de “Distritão”. Aqui, mais uma vez se aplicaria a “máxima” do Príncipe Salina: “É preciso mudar alguma coisa para tudo ficar como está...”

Sarney = Príncipe Salina/ leia aqui


É muito conhecido e “manjado” pela população, mas de combate muito difícil. Exemplo: o deputado estadual ou federal, no Estado de São Paulo, é eleito tendo por base um município do sul do estado. Pois bem, não faz nada pela região, mal aparece e, assim, resta a certeza de que não mais conseguirá votos suficientes em uma próxima eleição. O que faz o “esperto/malandro” parlamentar? Concentra a sua propaganda política tendo por base, desta vez, um município do norte do estado, onde faz muitas promessas e, naturalmente, gasta muito, muito dinheiro (poder econômico). É o “rodízio parlamentar sacana”. Se reelege e, como da outra vez, mal aparece e não faz nada. E assim vai circulando com o seu rico dinheirinho ($$$) nas várias regiões do estado e, quando tem que voltar novamente na primeira, a memória do povo é tão curta que ele pode montar a sua estratégia de enganação...É simples assim! Todo mundo sabe que é assim...e continua...

Esse tipo de voto, chamado erroneamente (com o intutito de enganar o povo) de “distritão”, é defendido pelo atual Governo do PT que pretende se perpetuar no Poder Político da Nação Brasileira. No mínimo por 20 anos, dizem eles!

PAÍSES QUE ADOTAM O VOTO DISTRITAL:
Estados Unidos, França, Itália, Reino Unido (Inglaterra) e Alemanha.

Atenção: Leia neste Blog (Textos Anteriores) os artigos “Regime Parlamentarista” (30/01/11) e “Reforma Política do PT...”(01/03/11).

5 comentários:

Anônimo disse...

A mobilização da comunidade organizada é que garantirá esse avanço democrático com a adoção do VOTO DISTRITAL MISTO. Na internet já existem vários sites e blogs dedicados ao tema, entre esses o (WWW.euvotodistrital.org.br) tem obtido uma excelente receptividade. A par disso, a luta pela Democracia no Brasil ganhou (é isso mesmo, ganhou!) o apoio do ex-presidente e atual senador Fernando Collor de Mello e também do PSDB. E Collor disse com acerto:“O presidencialismo é uma carroça no sistema político brasileiro", Todos se lembram que quando ele era presidente da República ele disse que as nossas fábricas de automóveis (montadoras) só fabricavam carroças...E era verdade, elas tinham verdadeira “reserva de mercado” e não atualizavam e nem modernizavam os seus veículos. Depois de ter dito isso, Collor abriu o Brasil para as outras fábricas e houve uma verdadeira revolução de tecnologia de ponta. O Brasil e os brasileiros só lucraram. Agora ele disse aquela frase quando apresentou seu projeto de lei propondo o “REGIME PARLAMENTARISTA” para o Brasil, com adoção do voto distrital. Vamos esperar que isso resulte em sucesso. Chega de “reizinho” (presidente da república) com poderes quase absolutos...Ele esteve lá, por isso ele sabe. Afinal não acabou a Monarquia para elegermos gente despreparada com poderes de um Soberano. O Brasil tem que se modernizar. Boa Collor! Até que em fim está dizendo a que veio...
(pinto.rodolfo28@yahoo.com.br)

Anônimo disse...

Como está não pode ficar, mas nem tanto ao céu e nem tanto à terra. O VOTO DISTRITAL MISTO será, com certeza, um passo certo rumo à modernização de nosso sistema político. O que se propõe é a continuidade do que aí está. Tô fora! Se sair essa reforminha do Sarney (A Reforma do PT...) ela não vai durar muito, aliás tudo o que esse “Coronel Jurássico” faz não dura muito, nem o grande Memorial que ele fez no Maranhão de exaltação a si próprio durou...O homem é pé frio. Fez o Plano Cruzado e o país quase foi à bancarrota. Foi Senador pelo Maranhão, onde mantém o Estado sob a tutela do atraso, mas só conseguiu continuar no Senado porque se elegeu pelo Estado do Amapá, recém criado à época, numa gigantesca maracutaia. Esse homem é nó. O Lula e a Dilma que se cuidem...
(bastosgustavo32@yahoo.com.br)

Anônimo disse...

O perigo está no Congresso Nacional e no STF – Supremo Tribunal Federal. Eles mudam tudo, protelam tudo e deixam o povo brasileiro a ver navios...A LEI DA FICHA LIMPA recebeu do Senador Francisco Dorneles uma ALTERAÇÃO em seu texto que criou dúvidas e ajudou a empurrar a Lei para 2.012...Agora, esse mesmo senhor preside a Comissão do Senado para a Reforma Política. O homem é do PP (partido do Maluf e parente do chamado “traira” de Minas, o Aécio Neves) e já está mobilizando meio mundo (a mando do governo) para o voto”distritão”, que é a transformação de cada Estado num Distrito: pura sacanagem! Não tem nada de VOTO DISTRITAL aí, é pura enganação! E os mais votados seriam eleitos, independentemente do partido. Isso, se passar, vai acabar com os partidos e deixar tudo nas mãos dos picaretas de sempre que fazem campanha em todo Estado sempre com a mala cheia de $$$. Prestem atenção nesse cara: Francisco Dorneles!!!
(luisroberto-souza@yahoo.com.br)

Anônimo disse...

É isso mesmo. Veja o exemplo do município de Botucatu/SP. Quando o Estado de São Paulo era dividido em Distritos, Botucatu e região pertenciam ao 5º Distrito e sempre teve os seus representantes, O seu Deputado Estadual e o seu Deputado Federal. Há praticamente 50 anos, o município e região NÃO TEM o seu Deputado Federal. Pesquisas levadas a efeito na cidade, demonstraram que TODOS os candidatos a Deputado Federal, POR TODOS OS PARTIDOS, tiveram na cidade e região pelo menos UM (1) VOTO. Daí dá para ver a verdadeira SANGRIA de votos. E após a apuração dos votos, verificou-se que o candidato mais votado da cidade e região, nas repetidas eleições, NUNCA alcançou a SOMA DOS VOTOS dos candidatos de fora. Quer dizer, a representatividade real da região NÃO EXISTE HÁ 50 ANOS!!! Isso é DEMOCRACIA?!? Acho que não. É preciso mudar, e com urgência. O VOTO DISTRITAL É A SOLUÇÃO!
(ludmila.cunha@yahoo.com.br)

requeri disse...

o sistema eleitoral dos usa, é uma questão empacada na minha inteligência. não entendo aquilo, não nego.
quanto à reforma política no brasil, ainda está carregada de muitos interesses desinteressantes pro povo.
se não veja: mais 60% da população acha que a reforma política é a mais importante a ser realizada, no entanto, o ítem mais reprovado pelo povo - tb superando a marca dos 60% - é o que tem a maior simpatia dos políticos, ou seja, o financiamento público pras campanhas.
num to dizendo??? a gente roda, roda, e cai sempre no mesmo lugar.
por outro lado, a população aprova alguns ítens que os políticos 'dizem' defender e não praticam, a fidelidade partidária, por exemplo.
e por aí vamos nós.
como é mesmo aquela observação popular??? mudam os coronéis, mas os currais continuam os mesmos.
o brasileiro nasceu pra levar vida de gado, e muito político brasileiro se vangloria em eleger, até, poste.

é isso.

Postar um comentário