março 16, 2012

Vai Mal, artigo de Arthur Virgílio

                         

                                   VAI MAL

                           *ARTHUR VIRGÍLIO

          Lisboa – O governo Dilma Rousseff está paralisado. Não realiza as obras dos PACs por inapetência administrativa e/ou por restrições naturais que o TCU opõe a superfaturamentos e corrupção. Montou base “aliada” fisiológica, exageradamente numerosa, disforme, sem identidade, sem programa de país que supostamente pudesse uni-la.

          Em apenas 14 meses, Dilma perdeu 14 Ministros, a maioria deles sob pesadas acusações de corrupção. Falta expelir a extensa lista dos incompetentes.

          Inexiste a articulação política. Dilma entende pouco do assunto e as peças-chave do seu esquema são neófitas, conhecem pouco Brasília, desconhecem os meandros de cada partido, parecem matutos deslumbrados com os arranha-céus da cidade grande.

           A Presidente virou refém do mais deslavado “toma-lá-dá-cá” da história brasileira. O projeto montado por Lula funcionava porque ele, inegavelmente, é hábil político e porque tinha a protegê-lo as reformas do período Fernando Henrique, e a conjuntura internacional extremamente benigna. Agora, a margem de manobra é menor e, paradoxalmente, as demandas dos “aliados” são maiores, até porque o exército do rei Xerxes, flácido, frouxo, sem combatividade, era o maior do mundo.

          A oposição precisa encontrar o seu viés, numa e noutra Casa. Vozes isoladas a representam e isso dá fôlego a um governo fraco, deficiente, incompetente e inseguro.

          A corrupção grassa e o exemplo vem de cima. Não há tecido da máquina oficial que, espremido, não produza secreção purulenta. O aparelhamento político do Estado, com fins corruptos, chegou ao paroxismo. As agências reguladoras viraram apêndices dos Ministérios, perderam a independência, elas que nasceram para representar o Estado, que é permanente, e não os governos, que são transitórios, e que deveriam também proteger os interesses dos consumidores, hoje ignorados.

          O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, admite ter recebido R$50 mil do laboratório Hipolabor, quando dirigia a Anvisa. A Procuradoria–Geral da República afirma tratar-se de suborno. O acusado, “defende-se” dizendo tratar-se de “empréstimo” que fez a um lobista da União Química, outra indústria farmacêutica, e que esses R$50 mil seriam o ressarcimento do empréstimo.

          Por que o lobista de uma empresa pagaria “empréstimo” através de uma concorrente? E é justo, legal, decente, legítimo, um dirigente de agência reguladora “emprestar” dinheiro a lobista de setor que ele deveria fiscalizar com rigor, isenção, sem promiscuidades?

          O Brasil está virando um “clube dos cafajestes”. Os exemplos dados às novas gerações são os da amoralidade e da imoralidade.

          Nesse rumo, não iremos a lugar nenhum. Sermos o 6o PIB do mundo, com renda cruelmente repartida e corrupção institucionalizada, nos define como uma grande republiqueta, jamais como uma grande nação.

          *Diplomata, foi líder do PSDB no Senado

3 comentários:

Aristides Monteiro disse...

Sem dúvida, fora a corrupção generalizada no desgoverno petista, que só tende a crescer , o resto é só retórica ....!

Anônimo disse...

Aleluia! Milagre!!!
Temos OPOSIÇÃO no Brasil!
Com a situação econômica do Brasil indo bem, apesar dos governantes, ninguém se atreve a fazer oposição. Só o ex-senador Authur Virgílio que durante os 8 anos de Lula foi um dos poucos senadores a fazer oposição...E fazer oposição em alto nível, sem “xingar a mãe” dos outros e nem fazer baixaria em Brasília.
Muito bom saber que ele continua fazendo oposição. É coerente, Sabe o que faz e o que diz.
Cumprimento o blog por tê-lo como colunista!(haroldo.leao@hotmail.com)

Anônimo disse...

Olá, Delmanto.
Janio comentou a notícia “Vai Mal”, artigo de Arthur Virgílio.

Comentário:
Se o PT vai mal? Para os petistas é o melhor dos mundos. Mas
quem manda dar galinheiro para lobos vorazes tomar conta ?
(Janio)


Delmanto, estão expostas, aqui, as veias do petismo no governo.Jorram fétidas substânciais odoríferas. Não votei nessa farsa que está aí, e
aqui, no dihitt, (travo brigas terríveis), ao dizer que esse é um governo, não de coalizão, mas de enganação. Basta olhar o oportunismo em
que estão alicerçados os seus pilares. Como Dilma chegou até aqui, é um mar bizarro de oportunismo...ela não tem capacidade para governar um país com essa dimensão ou mais precisamente, esse covil de Jararacas que, diga-se de passagem, muitas das cobras são do serpentuário
do PT. Mas os petistas, em alguns casos, são insanos, tapados até a
medúla, por acharem que ninguém tem capacidade de ver esse mar de lama
e incompetência. Quase sempre são avaliações apaixonadas, recheadas de passionalidades. Mas olha, a oposição precisa tomar seu lugar no “podium”,
e vergonha no que chamam de "cara " (como diria o Chaves,do SBT).
Com certeza vamos trazer meu país de volta. Não um país de santos, ou puritanos, mas um país em que prevaleça, a civilidade, o respeito e a dignidade
mínima. Quero meu país fora da mão desses forasteiros de aluguel.
( SEJA FELIZ-JANIO)
www.piadaspop.blogspot.com



Responda e leia mais no endereço http://www.dihitt.com.br/meu_conteudo#n=vai-mal-artigo-de-arthur-virgilio&c=1520934

Postar um comentário