abril 06, 2015

Botucatu em Versos, de Progresso Garcia.

Botucatu em Versos, de Progresso Garcia.


Político faz versos também?!?

Faz, sim senhor!

E o ex-vereador Progresso Garcia é a prova provada disso. Bom orador que tinha muita criatividade e humor em suas falas era, também, um poeta...

“BOTUCATU EM VERSOS” foi publicado, pela primeira vez, pela FOLHA DE BOTUCATU, de 19/04/1961 e também foi publicado pelo jornal VANGUARDA DE BOTUCATU, de abril de 1981. É um poema cívico e, como os seus similares, é longo mas mostra a caminhada de Botucatu pela visão do poeta.




Progresso Garcia foi vereador, vice-prefeito e chegou a substituir o prefeito João Queiroz Reis em suas férias. Fotógrafo de profissão teve efetiva participação na vida
comunitária botucatuense.

BOTUCATU EM VERSOS

Progresso Garcia



Botucatu

Parece velha

Porém és jovem, menina crescida, um colosso de cidade,



Que cravada numa serra

Viraste uma grande terra

Distribuindo virtudes

Assim com manda Deus.



Botucatu centenária

Botucatu legendária

Menina dos olhos meus.



Cento e seis anos passaram

Velozes, rápidos como o vento

E antes...que eras tu? Sertão, exuberante matagal.

Paraíso das serpentes

De espinhaços reluzentes

Que andavam por aqui,

Qual senhoras do lugar.



Botucatu soberana

Botucatu de Santana

Soubeste fazer amar.

Entraram os machadeiros

Pan-pan-pan daqui pra li

Abrindo picadas, abrindo caminhos, erguendo choupanas.



Vieram mineiros ricos

Vieram ricos fazendeiros

E caboclos boiadeiros

Louvando para i housanas.



Botucatu da esperança,

Botucatu da aliança

O céu e a terra tu irmanas.



Foste tão cobiçada

Por ricaços estrangeiros

Por patrícios brasileiros, que queriam dominar seus bens.



Viveste teus duros dias

Pinheiro Machado doou-te

A terra tão necessária

Pra construir tua freguesia.



Botucatu da saudade

Botucatu da verdade

Soberana e Luzidia.



Das queimadas

Que abriram claros

Nasceram cafezais, alinhados, verdinhos e amarelados.



Trazendo tanta riqueza

Trazendo tanta beleza

Tanto dinheiro veio

Trazendo tudo pra cá.



Botucatu pioneira

Botucatu do cruzeiro

Encanto maior não há.



Construíram-se casinhas

Com telhados de sapé

Paredes de barrote, piso de chão duro, vermelho como que.

Apareceram escolas

Sobradinhos arrojados

De construção colonial

Enfeitando sua feição.



Botucatu da cultura

Botucatu da candura

Tens alma, tens coração.



Veio a Santa Padroeira

Colocaram lampiões

Pelas ruas bem traçadas, alinhadas, muito largas e arejadas.



Surgiram daí escritores

Trovadores, toureiros

Poesia dos Brasileiros

Irradiando seus amores



Botucatu dos bons ventos

Botucatu dos alentos

Perfumados de suas flores.



Foi chegando de mansinho

O trem de ferro fumegante

Alarmando a caboclada que corria, com medo, assustada.



O trem antigo, cansado

Subindo esta ramparia

Rasgando a serra bravia

Trazendo o progresso pra cá.



Botucatu religiosa

Botucatu carinhosa

Perfume de manacá.



Surgiu a pequena indústria

Surgiu a Igreja e o Bispado

Vieram professores, doutores, policiais e magistrados.



O algodão foi plantado

Com suor na terra pura

Riqueza cheia de alvura

Com lindos flocos ao léu.



Botucatu do calor

Botucatu do amor

Presente que vem do céu.



Nasceu a Escola Normal

Para marcar a tua vida.

Formando mestres para ti, para todos, para a pátria estremecida.



Modificou tua história

Essa escola abençoada

Fazendo-te respeitada

Por todo o Brasil em fora.



Botucatu das lareiras

Botucatu das fruteiras

Majestade tens agora.



Teus filhos se esforçaram

Trabalharam, não cansaram

Para fazer de ti uma grande cidade, querida, respeitada.



Trouxeram a luz elétrica

Pavimentaram as ruas

Por isso é que hoje atuas

Qual pequena capital.



Botucatu do respeito

Botucatu do conceito

De carinho manancial.



Cento e seis anos se passaram

Teus filhos muito te honraram

Tens cientistas, mestres, engenheiros, industriais e advogados.



Teu nome hoje é lembrado

Teu nome é tão difundido

Tudo feito e construído

Pelo amor dos filhos teus.

Botucatu legendária

Botucatu centenária

Menina dos olhos meus.

5 comentários:

Delmanto disse...

São raridades culturais. E eram praticamente desconhecidas de nossa população. Cuidar de nosso Patrimônio Cultural é isso...
São poesias cívicas e, portanto, longas, mas, extremamente bem feitas e que mostram a “saga botucatuense” na construção de sua cidadania.
As duas primeiras poesias, a de Angelino de Oliveira e de Paulo Bomfim já se tornaram marcas registradas de Botucatu. São Lindas.
Em seguida, publicamos a POESIA DO CENTENÁRIO, o poema cívico “Princesa da Serra” do poeta Trajano Pupo Jr. Hoje, publicamos “Botucatu em Versos”, de Progresso Garcia. E amanhã, encerrando a série BOTUCATU É POESIA, vamos publicar mais uma raridade literária: “O BATIZADO DA CIDADE MORENA”, de José Pedretti Neto.
Nada impede e temos sempre repetido que a construção da cidadania – no caso a defesa e o registro de nosso Patrimônio Cultural – PRECISA ser feito por várias mãos... Todos devemos participar. Assim, quem tiver conhecimento de músicas ou poesias dedicadas a Botucatu devem trazê-las para fazerem parte da série BOTUCATU É POESIA.
O Blog do Delmanto continuará com publicações alusivas a Botucatu em homenagem ao seu aniversário no dia 14 DE ABRIL: 160 ANOS!!!

Anônimo disse...

Caro Dr. Armando Moraes Delmando

Distinto Acadêmico da ABL

Mais uma joia rara que se encontra no acervo cultural da nossa querida Botucatu e que muitos, ou a maioria de nós não tinha conhecimento.

Você me fez lembrar do nosso querido Vereador Progresso Garcia. Quantas vezes passava em frente ao estabelecimento fotográfico dele e parava para ter uma boa prosa: política, religião, e tantas coisas mais. Ali eu ficava sabendo de muitas coisas. Ele descendente direto de espanhóis, e eu também. Ele Garcia, e eu também. Embora os Garcia sejam como Silva neste mundo todo. Era sempre uma boa e respeitosa conversa entre nós. E, também, muitas risadas sobre fatos que a gente se lembrava.

A poesia dele me reportou lá para os meus nove ou dez anos de idade, quase sessenta anos atrás. O fato é que o meu tio, que era guarda-livros, ou contabilista agrícola, andava por estas paragens realizando seus trabalhos e nos contava da famosa Botucatu. Ele reclamava um pouquinho, pois como era de Bauru, onde o clima é bem diferente e contrastante. Lá, o calor, aqui, o frio. Lá, as portas sempre abertas e o povo sentado nas calçadas ofegantes pelo calor intenso da Terra Branca, aqui, o delicioso clima, fresco, ou bem frio, e o povo recolhido, à noitinha e se aquentando no aconchego do lar. Eram histórias que eu ouvia, em outras palavras, é claro, mas que me deliciavam, pois sempre amei esse nosso clima da cuesta. E, agora, aqui estou, há várias décadas, apaixonado pela cidade e abençoado pela família que ela me deu. É o meu lar do coração.

Parabéns confrade Armando. Traga à nossa memória aquilo que pode nos dar alegria e belas recordações, isto é, as pepitas preciosas do acervo botucatuense.

Coine (Reverendo Antonio Coine - Membro Honorário da ABL - Academia Botucatuense de Letras).

Anônimo disse...

Marlene Caminhoto (Facebook):
Eu possuo algumas poesias antigas... Verei se as encontro... Abs

Anônimo disse...

Wlademir Vicente Salles (Facebook):
Tive sorte em conhece-lo. Tirei muita foto çom ele. Benato

Divanil Garcia disse...

**********BOTUCATU********

Botucatu, *grande cidade**desta terra tão gentil
é minha a felicidade, pois faz parte do Brasil
Brasil, meu berço de ouro,Terra querida onde nasci
São Paulo, pra mim é tesouro, foi aqui que eu cresci
sou goiana de Cristalina,com orgulho digo a verdade
vim de lá tão pequenina,mesmo assim sinto saudades
meus parentes eu desconhecia ,pois meu pai assim o quis toda família se escondia,fazendo-me só e muito infeliz
mesmo sobrinha de um prefeito,na pobreza sempre vivi
o destino traçou minha vida sem jeito, mesmo assim sobrevivi
minha vovó Ana Toledo eu conheci,lembro seu olhos azuis da cor do mar
juro amigos, dela,nunca esqueci, tão clarinha como o luar
Botucatu foi quem acolheu, meus avós meu pai e seu irmãos
Botucatu ,meu coração hoje é teu, me entrego em tuas mãos,
recebeis meu carinho afetuoso,e como sempre com sinceridade
povo gentil e sempre, mui amoroso, eu os amo de verdade
se eu pudesse voar eu voaria,pra conhecer verdes serrados
meu pensamento voa alegre em suave correria
pra ver as flores coloridas , dentre jardins , por mim agora mui solicitados
Botucatu, estás agora em meu ser,Progresso Garcia te amou
como eu também
te sinto querida, cidade amiga em todo viver
serei contigo mesmo um dia, eu no além
cidade querida *Botucatu** vives agora em meu viver
composição de Divanil garcia de Toledo.. obrigada



Postar um comentário