julho 04, 2016

Academia Botucatuense de Letras e seus Acadêmicos Purpurados!

A ABL e OS PURPURADOS!
clique na imagem para ampliá-la

A revista PEABIRU representa o maior acervo cultural sobre Botucatu e sua história. E a revista de nº 11, desetembro/outubro de 1998, traz um artigo da saudosa cronista de Botucatu, a acadêmica Elda Moscogliato, no qual ela mostra a importância dos prelados da Igreja Católica – os Arcebispos Metropolitanos! –como membros da ABL – Academia Botucatuense de Letras.


Foram três Arcebispos de Botucatu citados por Elda: Dom Henrique Golland Trindade, Dom Vicente Marchetti Zioni e Dom Antonio Maria Mucciolo, além de outros representantes da Igreja Católica. E, hoje, complementamos o seu trabalho com a inclusão do atual Arcebispo Metropolitano de Botucatu, Dom Maurício Grotto de Camargo.

Como parte das comemorações 40º Aniversário da ABL, foi realizada, no último dia 17 de maio, no Salão Anchieta(antigo Seminário), Sessão Solene da ABL, sob apresidência do Acadêmico Antonio Evaldo Klar. Com a belíssima apresentação do Coral Municipal, tomaram posse como Membros Honorários da ABL, odramaturgo Robert Coelho e o Arcebispo de Botucatu, Dom Maurício Grotto de Camargo e, comoMembro Correspondente, a artista plástica Marlene Caminhoto Nassa.

Dom Maurício é o primeiro arcebispo que teve a sua assunção à Arquidiocese de Botucatu vindo de uma sua Diocese: primeiro a grande Diocese/Arquidiocese de Botucatu (a Mãe), a maior do Estado; depois,desmembrada, a já instalada Diocese de Assis (a Filha) e, finalmente, desmembrada também, a Diocese de Presidente Prudente (a Neta), onde Dom Maurício era Bispo. É o quarto Arcebispo de Botucatu aenobrecer a ABL! Vamos ao artigo de Elda Moscogliato:

Os Purpurados da ABL
Elda Moscogliato

É de sua própria essência contar uma Academia Culturalcom a presença de purpurados entre seus membros, fato altamente honroso para a agremiação que nele se escudase enriquece e se elitiza. Entendido aqui otermo purpurado além de significar alta dignidade eclesiástica sintetiza também uma rica hierarquia queascende de padres notáveismonsenhores, bispos, arcebispos, cardeais, que se distinguiram na vida clerical através da inteligência, do talento, do estudo aprimorado das ciências, das artes, da vastidão da cultura humanística, da sabedoria, do ensino, da educação dando plena expansão ao primado da evangelização dos povos.

longa história da Igreja vem do fundo dos séculosmarcando essencialmente o medievalismo, pelos seus vultos admiráveis de pensadores, sábios e apóstolos, na formação das nações.
Daí que no decorrer dos tempos as sociedades culturaispuderam contar em seus quadros com a presença respeitável, austera, conselheira e amiga dos padres da Igreja.
Neste breve preâmbulo cuida a crônica - numa evocação sempre entusiasta e jubilosa - da nossa Academia Botucatuense de Letras que, semelhantemente às suas congêneres do País conta em seus quadros com a presença altamente significativa, desde seus inícios, de purpuradosnuma seqüência notável de nomes ilustres que marcaramas culminâncias intelectuais de nossa histórica cidade.


Citemos, para corroborar a assertiva, o brilho de algunspurpurados nas nossas academias pátrias: na Paulista de Letras: Pé. Hélio Viotti - o mais credenciado biógrafo de Anchieta; o histórico Monsenhor Francisco de Paula RodriguesDom Benedito de SouzaMonsenhor Castro NeryMonsenhor Manfredo Leite. Na Brasileira de Letras, o vulto inconfundível de Dom Aquino Corrêa entre tantos prosadores, oradores e literatos.
Logo na sua instalação, contou nossa ABL com dois Arcebispos: D.Frei Henrique Golland Trindade resignatário e Dom Vicente Marchetti Zioni, como Honorários. O saudoso D. José Melhado Campos, então Bispo Emérito de Sorocaba, foi nosso Membro Correspondente, sempre presente em nossas Sessões Solenes, numa das quais foi homenageado pelos seus cinqüenta anos de vida sacerdotal, saudado na ocasião pelo Prof. Milton Marianno, conhecido pelos seus dotes oratórios. Usando de um pensamento de André Frossard, escritor francês que traçou em livro, o perfil de João Paulo IIMilton destacou a célebre frase: "As palavras antes de serem ditas, devem ser rezadas", tema do discurso.
título honorífico a que fez jús D. Zioni - por todos os méritos digno da honraria, não agradou ao Arcebispo - homem de uma atividade admirável, voltada aos estudos profundos e constantes, pesquisador arguto, analista sério e justo, bibliófilo mergulhado devotadamente em seus arquivos impecáveis, sempre atencioso e prestativo aos que lhe demandam as luzes da memória privilegiada. Não se acomodou ao título, preferindo ser Efetivo, trabalhando pela Academia.


Dr. Marão teve conhecimento do fato e exultou. Grande honraria poder contar com o Arcebispo dentre seus Membros Efetivos. Imediatamente anunciou uma assembléia geral e nela propôs a eleição. Houve um consenso geral.
Ao arcebispo foi-lhe concedida a proposta de umaCadeira, a de n" 22, cujo Patrono por ele seria escolhido, o que se deu com a designação de D. Aquino Corrêa, prosador, orador e poeta, Arcebispo de Cuiabá.
D.Zioni leu a sua tese em Sessão Solene, na data de 31 de março de 1979.
Desde então é nosso companheiro assíduo, quer emreuniões ordinárias, quer em Sessões Solenes, nos momentos de euforia ou de preocupações assegurando-nos com sua presença, o ambiente reconfortante de bênçãos e de paz tão necessária a cada circunstância.

Outro exemplo que tanto enobrece a Academia é o de D. Antônio Maria Mucciolo que, ao ser eleito comoMembro Honorário optou também, entusiasticamente, pela posição de Efetivo, manifestando-se conviver e integrar-se ao nosso ambiente para o qual se mostra voluntariamente participante.
Ocupará, com a posse a se realizar nesta sexta-feira (25/09/98), em sessão solene festiva, a Cad. N° 7, cujoPatrono é Guilherme de Almeida.
Arcebispo de Botucatu desde 1989, D. Antônio Maria Mucciolo registra em seu brilhante curriculum-vitae títulos enobrecedores de intensa vida apostólica o que o faz um perfeito Arcebispo-Itinerante a percorrer zelosamente a imensa Arquidiocese levando com sua presença, seu exemplo e seus cuidados a sacra proteção de sua palavra, seu estímulo, sua orientação segura.
Da sua personalidade extraordinária fala muito alto aparticipação ativa na criação e instalação da Rede Vida de Televisão - o Canal da Família, que em seus três anos de existência conquistou uma notoriedade mundial, atraindo a si cerca de oitenta milhões de telespectadores.
Destacando a personalidade de nossos dois Arcebispos e o que ambos representam no convívio acadêmico que tanto deles se engrandece, esta coluna presta-lhes respeitosa homenagem na comemoração solene dos vinte e cinco anos de existência da ABL.

(revista PEABIRU nº 11 – setembro/outubro/1998 –Ano I)

Um comentário:

Delmanto disse...

É uma honra poder destacar o artigo da saudosa amiga e acadêmica Elda Moscogliato. Sustentáculo da ABL desde sua instalação até seus 30 anos, Elda era a secretária geral e braço direito do Dr. Antonio Gabriel Marão, ex-Juiz de Direito da Comarca, tendo sido seu presidente por longos anos, passando, ao depois, para o honroso cargo de “Presidente Perpétuo”, sendo indicado para Presidente da Academia, o Prof. José Celso Soares Vieira. Já na presidência do acadêmico Antonio Evaldo Klar, a ABL recebeu o atual Arcebispo de Botucatu, Dom Maurício Grotto de Camargo como seu Membro Honorário, sendo que na presidência do acadêmico Newton Colenci, por expressa vontade de Dom Maurício, foi eleito Membro Efetivo da Academia. No link, o registro:
http://blogdodelmanto.blogspot.com.br/2015/10/dom-mauricio-na-academia-botucatuense.html

Postar um comentário