abril 06, 2011

EDUCAÇÃO: choque de gestão!!!

"A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo." Nelson Mandela


Não existe outro caminho para o Brasil ter um povo participativo capaz de construir seu próprio destino... É através da educação! Somente com investimento maciço na educação (estrutura física e HUMANA) é que chegaremos ao primeiro mundo em qualidade de vida para a população brasileira.

Exemplo: no ano de 1969 -- portanto há 40 anos! -- o Brasil estava bem à frente da Coréia do Sul. No entanto, a Coréia investiu maciçamente na educação e, hoje, é exemplo para o mundo.

Em 1969, O Brasil tinha uma expectativa de vida de 55 anos, contra 43 anos da Coréia. Hoje, a nossa média é de 72 anos superados pelos 78 anos da Coréia!

Em 1969, a mortalidade infantil no Brasil era de 112 óbitos por mil nascimentos e lá era de 50 por mil. Hoje, o nosso índice é de 23 por mil e lá é de apenas 4 por mil!

Em 1969, o Brasil tinha um PIB (Produto Interno Bruto) de US$ 32 bilhões, com 90 milhões de habitantes e a Coréia tinha um PIB de US$ 5,7 bilhões, com 32 milhões de habitantes. HOJE, o Brasil tem 191 milhões de habitantes e um PIB de US$ 960 bilhões e a Coréia com apenas 50 milhões de habitantes tem um PIB de US$ 1,1 trilhão!!!

Em 1969, a renda per capita no Brasil era de US$ 350 e a Coréia não alcançava US$ 200. HOJE, a do Brasil quase chega a US$ 5.000 e a da Coréia é de US$ 21.000!!!

QUAL O SEGREDO?


Investimento maciço em educação, isto é, investimento na estrutura física (escolas, material escolar, quadras de esporte, coordenação e incentivo ao entrosamento escolar, PROFISSIONALIZAÇÃO, tempo INTEGRAL: com refeições e merendas, psicólogos e atendimento médico). Mas não é só: investimento na carreira do magistério. Qualificando e reciclando o PROFESSOR. Dando ao profissional do ensino uma carreira reestruturada de tal forma que transforme em meta para a juventude seguir essa carreira profissional: por ser uma profissão respeitável e por ganhar muito bem!!!



CIEPs: criação de Darcy Ribeiro/leia aqui

Escolas Públicas em tempo integral/leia aqui


A solução para a escola em tempo integral, idealizada pelo mestre Darcy Ribeiro e transformada em realidade por Oscar Niemeyer – os famosos CIEPS – estão em situação de risco pela falta de boa gestão no país, e não apenas no Rio de Janeiro. Mas não há nada no campo educacional, em todo o Brasil, comparável a essa verdadeira revolução levada a efeito no estado do Rio de Janeiro durante o governo de Leonel Brizola.

Conheça Darcy Ribeiro/leia aqui

Brizola deu carta branca para que Darcy Ribeiro idealizasse e Oscar Niemeyer criasse os famosos CIEPS. Foram 500 CIEPS! Verdadeira revolução pela educação, levando às classes menos privilegiadas os benefícios da escola em tempo integral, velho sonho de Darcy e do educador Anísio Teixeira.



Citações de Darcy Ribeiro/leia aqui

Os governos do Rio de Janeiro, após a gestão de Brizola, não deram continuidade a esse ousado projeto. Em São Paulo, os CEUS, com esse mesmo conceito de tempo integral, já são uma esperança! Mas as sementes (500) foram lançadas e o Brasil, daqui para a frente, terá que optar pela escola em tempo integral se quiser obter um desenvolvimento sustentável e moderno.

Dirão os pessimistas de sempre e os partidários dos governos dos últimos 30 a 40 anos que isso é sonho impossível...

Não é não! Aí está a Coréia do Sul a nos mostrar o caminho. E, no Brasil, os CIEPS são o exemplo perfeito!
Aí estão os exemplos a serem seguidos...

E, no estado de São Paulo, é preciso recordarmos da grande revolução pela educação ocorrida no governo de Armando de Salles Oliveira (1934/37), quando se idealizou as escolas profissionalizantes, ao depois, escolas técnicas (Industriais e, hoje, ETECs), com base no que já havia sido feito na iniciativa privada com a criação do IDORT, também obra de Armando Salles. Na busca da democratização da sociedade, as metas foram de 1.000 novas escolas no ano de 1935 e mais 1.000 em 1936!



Conheça um Estadista Paulista/ leia aqui

RESULTADO: mudou o perfil da sociedade paulista. E mudou para melhor! E o braço direito do então governador paulista foi o Prof. Cantídio de Moura Campos, então Secretario da Educação e Saúde Pública!!! Ele que foi o primeiro botucatuense formado em Medicina, viria a ser Diretor da Faculdade de Medicina da USP (também criada pelo governador Armando Salles) e Reitor da UNICAMP. No governo do professor Carvalho Pinto (1959), com seu Plano de Ação (inspirado nos conceitos do IDORT) o professorado também teve uma atenção especial.

Então, HÁ SOLUÇÃO! Basta vontade política!!!

5 comentários:

Anônimo disse...

Como pode ser vencedor um povo que não come o suficiente e que não vai à escola? Como podem, os jovens brasileiros, levarem adiante o ideal do Brasil progressista, se não tem cultura, educação e nem emprego??? É preciso que os nossos governantes optem por um investimento maciço na educação. Educação em tempo integral: o aluno entra pela manhã, tem as aulas, almoça, tem a hora de lazer, tem auxílio pedagógico na feitura das tarefas escolares, tem a hora da prática de esporte, tem o lanche da tarde, hora de estudo e...pronto! Está sendo formado o CIDADÃO BRASILEIRO! Essa é minha opinião como professor e como cidadão consciente. Obrigado.
(luisroberto-souza@yahoo.com.br)

Anônimo disse...

Que grande verdade. São brasileiros exemplares. Darcy Ribeiro é da esquerda e o Governador Armando de Salles Oliveira é da direita?!? Claro que não! Os dois são somente GRANDES BRASILEIROS! E estamos conversados. É disso que o Brasil precisa e é isso o que o Brasil quer! Ponto e basta!
(haroldo-leao@hotmail.com)

requeri disse...

quem conhece a real situação da educação pública no brasil lamenta que professores e estudantes sejam privados dos recurso que deveriam ser aplicados no ensino, na formação de professores, no salário de professores, em todos os recursos materiais e humanos.
isso deveria ser a prioridade indiscutível.
atenção à educação é obrigação, é fundamento pro crescimento e manutenção de uma nação, é fator absoluto.

é isso.

Anônimo disse...

Na revista ISTO É, de 10 de agosto/2011, há uma matéria: ”Escolas sem papel”, assinada por Débora Rubin, que traz dados muito interessantes sobre a educação na Coréia do Sul, país com um dos melhores sistemas de ensino do mundo, que pretende tirar livros e cadernos das salas de aula, substituídos por um ensino digitalizado. Assim, diz a reportagem, para ler um livro ou fazer a lição de casa, bastará ter um tablet ou um smartphone. E traz o bê-á-bá sul coreano para o sucesso educacional: Pacto Social – o governo investe 5% do PIB na educação; Ensino Básico – é prioridade absoluta, com verbas garantidas; Professores – são sempre avaliados e valorizados. O salário médio de professor do ensino básico é de R$ 10mil !!!; Carga Horária – os alunos passam 8 horas na escola; Os Melhores – O sistema incentiva os alunos a buscarem os primeiros lugares.
Não dá para fantasiar: o Brasil está longe, muito longe de colocar a EDUCAÇÃO como prioridade governamental. Ao contrário, tem um Ministro da Educação sem formação para o cargo, mero candidato a político protegido do Lula e que vem cometendo falhas graves na gestão de tão importante pasta. (danilo-gomes40@live.com)

Silvia Bellandi disse...

Não devemos polarizar nosso País. Precisamos dar as mãos e trabalhar por uma Pátria melhor, e isso não se faz sem educação!

Postar um comentário